Há cerca de 4 anos atrás estreava nos cinemas o tão aguardado Liga da Justiça, e muitas coisas até então haviam sido reveladas anteriormente, como o um possível lanterna verde, o superman de uniforme preto e o que vimos foi uma versão que não agradou muito aos fãs e nem a crítica, isso porque a direção do longa foi abandonada por Zack Snyder e assumida por Josh Whedon que havia dirigido o sucesso vingadores.

Essa versão de liga da justiça ficou conhecida pelo fato de o Superman ter virado um meme om uma boca mal feita em computação gráfica para a retirada do bigode e pelos cortes mal feitos de edição.

Os fãs fizeram campanha pela versão de Snyder já que esse se pronunciou de maneira a revelar que sua versão do longa era muito diferente, e eis que ano passado surgiram algumas refilmagens para o SnyderCut de Liga da Justiça.

Agora vamos ao filme, sinceramente é mais do mesmo com relação a história, mas aí que vem o pulo do gato, Snyder é bom no que faz e transformou construiu e explicou bem como tudo aconteceu, o arco por arco, na versão de Snyder o Superman não é um Deus como apontado na versão de Whedon.

A fotografia do longa se transforma de acordo com cada membro da liga, em certo momento parece que estamos assistindo a 300 de esparta e em outro momento realmente parece que estamos assistindo ao Homem de Aço.

Ray Fisher não é apenas uma máquina como apresentado na versão anterior, seu arco é repleto de conflitos e emoções e bem aprofundado nessa nova versão, mostrando o quão ele realmente é importante para o longa. 

O arco do Flash é melhor apresentado no longa e suas cenas são mais interessantes, no que se diz respeito a forma como somos apresentados a força de aceleração.

Não temos aqui os heróis fazendo piadinhas mas isso não faz com que eles não tenham seu lado humano exposto, mas temos ainda assim Alfred(Jeremy Irons) como o alívio cômico irônico, o que é bom e o Flash como um alívio cômico natural, por ter uma personalidade mais leve que a do restante do time.

O lobo da estepe está incondicionalmente melhor, tanto na sua motivação quanto na sua aparência e dessa vez Cavil realmente me convenceu como Superman.

As lutas e batalhas não deixam nada a desejar ao que vimos em Vingadores Ultimato e Liga da Justiça: Snydercut provou que não precisamos de mais de 60 heróis em cena para termos um excelente filme de super heróis.

Se você gostou não deixe de compartilhar o post com os amigos que você conhece nas redes sociais porque isso ajuda demais a gente.

Aproveite e salve o Compilação Nerd em seus favoritos (CTRL + D) para depois não esquecer de nos visitar sempre que desejar, pois ficamos muito felizes quando você vem aqui outras vezes, sério ;)

Agora que a notícia acabou assine nosso canal e fique por dentro de tudo que rola no mundo da cultura pop!

Crítica / Review
Liga da Justiça: Snydercut provou que não precisamos de mais de 60 heróis em cena para termos um excelente filme de super heróis.
9.0
Programador, blogueiro, nerd, administrador dos sites www.babacasanonimos.br e www.compilacaonerd.br, além de apaixonado pela Mandy!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here